Como o Óleo de Coco pode ajudar no Controle da Glicemia

O óleo de coco, assim como o ovo, é um alimento que amargou anos de acusações como vilão até, recentemente, ser elevado à categoria de queridinho, não só dos nutricionistas, mas também dos gurus de beleza. Na alimentação, na pele, no cabelo… ele está por toda parte. Mas será que diabéticos podem consumir óleo de coco?

Trabalhos acadêmicos publicados na década de 1950 criaram uma relação entre as gorduras com ácidos graxos saturados (como o óleo de coco) e o aumento no risco de doenças cardiovasculares. Porém, esses estudos não tinham fundamentação científica e, posteriormente, ninguém conseguiu comprovar seus resultados. Assim, depois de anos sendo considerado perigoso, o óleo de coco enfim deixou para trás o passado sombrio.

tem diabetes?

Foi quando o mundo voltou sua atenção para algumas comunidades asiáticas que consumiam com frequência a gordura de coco. Entre os habitantes, as doenças cardiovasculares tinham pouca prevalência e, assim, o óleo de coco foi apontado como o motivo; e todos queriam descobrir como usá-lo.

Porém, como nós sabemos, os hábitos alimentares dos asiáticos são bem diferentes dos nossos, e mais saudáveis. Sim, essas comunidades consumiam bastante óleo de coco, mas também tinham baixa ingestão de açúcar branco e produtos de origem animal. Portanto, a menos que as pessoas estivessem dispostas a mudar sua dieta por completo, não seria o óleo de coco que resolveria o problema. Porém, ele não deixa de ter benefícios para nós, ocidentais. Quer conhecê-los?

coco-diabetes

O que ele faz?

A ação do óleo de coco no nosso organismo é como a de um carboidrato simples, pois ele é uma fonte de energia instantânea para o corpo. No entanto, não provoca um pico de insulina na corrente sanguínea, uma enorme vantagem para os diabéticos e as pessoas em pré-diabetes, que podem conseguir essa energia de ação rápida sem riscos. Uma colher do óleo tem 117 calorias, 14g de gorduras, 0g de carboidratos e 0g de proteínas.

Qualquer pessoa pode se beneficiar com o óleo em sua alimentação também, já que ele ajuda no emagrecimento e, mesmo sem aquela dieta asiática completa, ainda assim pode colaborar para diminuir o risco das doenças cardiovasculares. E também foi comprovada sua eficácia para reduzir drasticamente a chance de se desenvolver diabetes tipo 2 para quem ainda não tem a doença

oleo-de-coco-para-diabeticos

No tratamento do diabetes

Sim, os diabéticos podem consumir o óleo de coco! Especificamente para eles, uma grande vantagem desse óleo é que, se ingerido na quantidade certa, ele auxilia no equilíbrio dos níveis de açúcar no sangue, evitando crises de hipoglicemia e até o aumento da insulina. Junto a isso, ele pode inclusive diminuir a resistência do organismo à insulina e aumentar a tolerância ao açúcar. Portanto, lembre-se de incluí-lo nas refeições.

E, para quem não resiste a um docinho, o óleo de coco é uma ótima saída. Já que ele não estimula a liberação de insulina, também diminui a compulsão por carboidratos. Além disso, diferente de outros óleos poli-insaturados, o óleo de coco favorece a entrada de nutrientes nas células.

tem diabetes?

Mas, afinal, qual é a porção certa de óleo de coco a ser consumida? A resposta é: quatro colheres de sopa por dia. Isso se estivermos falando da versão em óleo mesmo. Ele também é vendido em cápsulas e, nesse caso, um nutricionista é quem deve indicar a quantidade ideal para cada pessoa.

oleo-coco-emagrecimento

Outros benefícios

Além de ajudar no controle do diabetes, há outras vantagens que você pode tirar do óleo de coco. Uma delas é o emagrecimento. Por ser termogênico, ele acelera a queima de calorias aumentando a temperatura do corpo e fazendo-o gastar mais energia. Assim, hoje é considerado um aliado na perda de peso.

Além disso, ele é rico em triglicerídeos de cadeia média, que são uma gordura de rápida absorção; ou seja, ela se transforma em energia logo e não fica armazenada no corpo. E ela também dá a sensação de saciedade, o que faz com que você precise comer menos para sentir que já ingeriu o suficiente.

O óleo de coco tem uma quantidade alta de ácido láurico, que é o mesmo ácido graxo que as crianças recebem no leite materno. Por isso, ele contribui para o sistema imunológico, combatendo vermes, vírus, fungos e bactérias. Outra função desse tipo de gordura é ajudar na absorção dos nutrientes dos alimentos, o que aumenta a capacidade de defesa do organismo.

Outra presença no óleo de coco virgem é a vitamina E, que é antioxidante e protege o corpo da ação dos radicais livres. Isso é importante porque, até um certo nível, esses radicais livres fazem bem para o organismo, mas, em excesso, podem levar ao envelhecimento precoce e ao surgimento de cânceres, por conta da oxidação de células saudáveis.

Na dermatologia, o óleo de coco tem ganhado grande destaque na hidratação e nutrição da pele e dos cabelos, puro ou misturado a outros produtos. Também pode ser usado em feridas, picadas de insetos e queimaduras, por ser bactericida.

O sistema digestivo também pode tirar bom proveito do óleo de coco, que ajuda a normalizar o trânsito intestinal. E, se o problema for intestino solto, ele também contribui, pois auxilia na eliminação de bactérias perigosas e no crescimento de uma flora intestinal saudável.

Como usar

Você pode usar o óleo de coco para substituir as outras gorduras presentes no preparo dos alimentos. Ele também pode entrar como tempero de saladas ou em sucos e vitaminas. Basta seguir a quantidade indicada por dia e, mantendo a constância, você vai colher todos os benefícios dessa nova estrela nutricional.

No entanto, fique sempre atento ao exagero. Ele é, afinal de contas, um óleo e tem 90% de ácidos graxos saturados, mais do que a manteiga. Não estamos sugerindo que você adote 100% da dieta das comunidades asiáticas (se bem que você pode, se quiser!), mas só o óleo de coco não vai corrigir uma ingestão de produtos de baixa qualidade. Use-o em conjunto com uma alimentação saudável e a prática de exercícios, principalmente se você já lida com o diabetes, combinado?

Se você já usa o óleo de coco no dia a dia, conte para nós como o incorporou às receitas. E, além da alimentação, você tem visto as vantagens desse óleo em outras aplicações? Comente e compartilhe este texto!

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *